A história da Xiaomi, uma startup que hoje bota a Apple pra lactar

Hoje, nós iremos contar a história por trás da nossa queridinha dos smartphones que vem conquistando cada vez mais público pela excepcional qualidade em seus produtos, mantendo o baixo custo. Sim, estamos falando da Xiaomi.
  

Apresentação da Xiaomi – 2010

A Xiaomi foi fundada por oito amigos na cidade de Pequim, na China, em abril de 2010. Um deles é o atual CEO da chinesa, Lei Jun. Ele começou como engenheiro da Kingsoft, uma das empresas de software mais poderosas do país. Os outros parceiros incluem até ex-executivos das filiais da Google e da Motorola no Oriente. 
Mas aliás, o que significa Xiaomi? Em chinês, o nome é literalmente “pequeno arroz”. A palavra agrega várias espécies de cereais, mas a escolha do nome é bem mais profunda.
 
Durante a Segunda Guerra Sino-Japonesa entre China e Japão em 1937, o então ditador Mao Tse Tung dizia que a China combatia usando “xiaomi” e “rifles”. Além disso, no budismo, tem um ditado que diz que uma pessoa com um arroz pode ser tão incrível quanto com uma montanha. Esse alimento representa então uma base sólida e força, hoje é presença certa na mesa de boa parte da população chinesa. A Xiaomi quer ter uma base tão bem estabelecida e ser tão importante, com um legado tão especial para as pessoas quanto do arroz na China em si.
Lá em 2010, no início de sua criação, a empresa decidiu lançar sua própria interface para outros smartphones Android, a MIUI. Já em 2011, a Xiaomi anunciou seu primeiro hardware, o smartphone Xiaomi Mi 1. Ele contava com Snapdragon S3, 1 GB de RAM e 1930 mAh.
Xiaomi Mi 1
Em 2012, a chinesa lançou o Xiaomi Mi 2. Agora com Snapdragon S4, 2 GB de RAM e até 3100 mAh. Em 2013, a organização lançou sua terceira geração de flagships. o Xiaomi Mi 3 contava com Snapdragon 800, 2 GB de memória RAM, os incríveis 64 GB de espaço interno na época e 3050 mAh.
Já em 2014, a empresa começou com a linha Redmi, uma série de aparelhos com mais baixo-custo. Lançou também o Xiaomi Mi 4, com Snapdragon 801, 2 GB de RAM e os mesmos 16 e 64 de memória interna, com 3080 mAh e com suporte à filmagens 4K.
Já 2015 foi um ano divisor de águas para a empresa. Ela expandiu com representação oficial em países como Índia e Brasil e também com o lançamento de sua linha de tablets, o MiPad, e do Xiaomi Mi Note, flagship da empresa em 2015, claramente inspirado na série Galaxy Note, da Samsung, sem contar sua action cam 4K, a Yi.
Em 2016, a empresa chegou com sua própria linha de Box TV, a Mi Box TV. Veio também o lançamento do Mi Pad 2, Xiaomi Mi Note 2 e do Xiaomi Mi 5, lançando também seu próprio robô aspirador.
Em 2017, tivemos o lançamento do Xiaomi Mi 6, do Xiaomi Mi Note 3, do Xiaomi MiPad 3 e de algo diferente: o Xiaomi Mi A1. Qual sua diferença dos demais celulares da empresa? Ele não contém a MIUI, interface da empresa, utilizando o Android One, sistema da Google com boa frequência de atualizações e multitarefa dedicada. É um aparelho excelente, meu atual smartphone principal. Nós também tivemos o Xiaomi Mi 6, com Snapdragon 835, 6 GB de RAM, os padrões da Xiaomi.
Em 2018 continuou sua evolução em smartphones e todo tipo de gadgets domésticos, os principais lançamentos do ano foram o Xiaomi Mi 8 com processador Snapdragon 845, 6GB de memória RAM e também suas versões Lite e PRO, também chegaram com o queridinho dos fãs, o Pocophone F1, um monstro com uma bateria de 4000mAh, como se não bastasse, ainda trouxeram o Xiaomi Mi A2, o Xiaomi Mi Mix 3 e o Smartphone Gamer Xiaomi Black Shark .

Xiaomi Black Shark 2

Confira ofertas abaixo dos lançamentos de 2018:

Em 2019 foi, sem dúvidas, o BOOM da marca em território brasileiro, com sua nova linha Redmi balançando as estruturas do mercado de smartphone, trouxe o queridinho e celular mais bucado do Brasil no ano passado, o Redmi Note 7 com um custo benefício que chega beirar o absurdo, o monstrinho é equipado com um processador Snapdragon 660, bateria de 4000mAh e câmera de 48 MP (!!!), também lançou o seu atual top de linha, o Xiaomi Mi 9, que vem simplesmente com um kit de câmera na traseira com 48 MP + 16 MP + 12 MP e uma câmera frontal de 20 MP, junto a um processador Snapdragon 885, e de quebra, com reconhecimento facial e de digital na tela.
Xiaomi Mi 9, atual topo de linha
Confira as ofertas abaixo dos lançamentos de 2019:

   

Em 2020 já temos o anúncio do Mi 10, o próximo topo de linha da marca, que deverá chegar até metade deste ano.

Com as informações de Tricurioso