Um laboratório independente afirma que o iPhone 11 pro emite mais que o dobro do limite legal da FFC para emissões de radiofrequência.

O teste foi realizado pela RF Exposure Lab, em San Marcos, Califórnia, seguindo as normas de avaliação da FCC. O celular da Apple foi testado a 5 mm de distância de um manequim projetado para simular o grau de absorção do corpo humano. O laboratório detectou uma taxa de absorção específica (SAR, na sigla em inglês) de 3,8 W/kg (watts por quilograma), mais de duas vezes superior ao valor de 1,6 W/kg estabelecido pela agência norte-americana.

No Brasil, a Anatel estabelece o limite de SAR para equipamentos portáteis utilizados a menos de 20 cm do corpo humano no Ato 458/2019. O valor máximo de exposição para a população em geral é de 2 W/kg (watts por quilograma) para a região da cabeça e do tronco.

Parece que o jogo virou, não é mesmo?

Com informações de Apple Insider